TÁ MÍLE FÁILTE ROIMH - YN FIL O WEILHAU CROESO - ARE A THOUSAND TIMES WELCOME - SEJAM MIL VEZES BEM VINDOS

terça-feira, 6 de setembro de 2011

HERÓIS DA ESCÓCIA - JAMES DOUGLAS - Parte 3

Roxburgh FallsRoxburgh Falls


In the years that followed Douglas was given time to perfect his skills as a soldier. Edward II came north with an army in 1310 in fruitless pursuit of an enemy that simply refused to be pinned down. Nos anos que se seguiram Douglas se deu tempo para aperfeiçoar suas habilidades como um soldado. Edward II chegou ao norte com um exército em 1310 em busca infrutífera de um inimigo que simplesmente se recusou a ser imobilizado.


The frustrations this obviously caused are detailed in the Vita Edwardi Secundi , a contemporary English chronicle; As frustrações obviamente causadas por isso são detalhadas no Edwardi Vita Secundi, uma crônica contemporânea em Inglês;


“The king entered Scotland with his army but not a rebel was to be found...At that time Robert Bruce, who lurked continually in hiding, did them all the injury he could.O rei entrou na escócia com seu exército, mas nenhum rebelde se encontrava... Naquela época, Robert Bruce, que espreitava continuamente na clandestinidade, causava a todos eles, o prejuízo podia.


One day, when some English and Welsh, always ready for plunder, had gone out on a raid, accompanied by many horsemen from the army, Robert Bruce's men, who had been concealed in caves and woodland, made a serious attack on our men...From such ambushes our men suffered heavy losses. Um dia, quando algum Inglês e galês, sempre pronto para a pilhagem, tinha saído em um ataque, acompanhados por muitos cavaleiros do exército, os homens de Robert de Bruce, que tinham se escondido em cavernas e florestas, fizeram um ataque sério em nossos homens... Desde emboscadas como nossos homens sofreram pesadas perdas.


For Robert Bruce, knowing himself unequal to the king of England in strength or fortune, decided it would be better to resist our king by secret warfare rather than dispute his right in open battle. Para Robert Bruce, sabendo-se desqualificado para o rei da Inglaterra na força ou na fortuna, decidiu que seria melhor resistir nosso rei pela guerra secreta e não disputar o seu direito em campo aberto.”


Edward was even moved to write to the Pope in impotent fury, complaining that "Robert Bruce and his accomplices, when lately we went into parts of Scotland to repress their rebellion, concealed themselves in secret places after the manner of foxes." Edward mudou-se inclusive para escrever ao Papa em fúria impotente, reclamando que: "Robert Bruce e seus cúmplices, quando recentemente fomos em partes da Escócia, para reprimir a rebelião, ocultaram-se em lugares secretos, à maneira das raposas."



In the years before 1314 the English presence in Scotland was reduced to a few significant strongholds. Nos anos anteriores a 1314 a presença de Ingleses na Escócia, foi reduzida a fortalezas pouco significativas.


There were both strengths and weaknesses in this. Não foram os pontos fortes nem fracos.


The Scots had no heavy equipment or the means of attacking castles by conventional means. Os escoceses não tinham equipamentos pesados ​​ou os meios de atacar os castelos por meios convencionais.


However, this inevitably produced a degree of complacency in garrisons provisioned enough to withstand a blockade. No entanto, isso inevitavelmente produziu um grau de complacência em guarnições provisionado o suficiente para resistir a um bloqueio.


In dealing with this problem the Scots responded in the manner of foxes; and among the more cunning of their exploits was Douglas' capture of the powerful fortress at Roxburgh . Ao lidar com este problema, o escocês respondeu na forma de raposas, e entre os mais espertos de suas façanhas foi a captura de Douglas da poderosa fortaleza de Roxburgh.


His tactic, though simple, was brilliantly effective. Sua tática, embora simples, foi brilhantemente eficaz.


On the night of 19/20 February 1314 – Shrove Tuesday and Ash Wednesday – several dark shapes were seen beneath the battlements and mistakenly assumed to be cattle. Na noite de 19/20 de Fevereiro de 1314 - Terça-feira Gorda de Carnaval e Quarta Feira de Cinzas - várias formas escuras foram vistas sob as ameias e erroneamente assumidos como gado.


Douglas had ordered his men to cover themselves with their cloaks and crawl towards the castle on their hands and knees. Douglas tinha ordenado aos seus homens que se cobrissem com seus mantos e rastejassem em direção ao castelo em suas mãos e joelhos.


With most of the garrison celebrating just prior to the fast of Lent , scaling hooks with rope ladders attached were thrown up the walls. Com a maioria da guarnição celebrando um pouco antes do jejum da Quaresma , escalando escadas de corda com ganchos ligados foram levantadas pelas paredes.


Taken by complete surprise the defenders were overwhelmed in a short space of time. Tomados de surpresa os defensores foram esmagados em um curto espaço de tempo.


Roxburgh Castle, among the best in the land, was slighted or destroyed in accordance with Bruce's policy of denying strongpoints to the enemy. Castelo Roxburgh, entre os melhores na terra, foi desprezado ou destruído, em conformidade com a política de Bruce de negar os pontos fortes para o inimigo.



BannockburnBannockburn


The greatest challenge for Bruce came that same year as Edward invaded Scotland with a large army, nominally aimed at the relief of Stirling Castle , but with the real intention of pinning down the foxes. O maior desafio para Bruce veio nesse mesmo ano Como Edward invadiu a Escócia com um grande exército, nominalmente visando a reparação do Castelo de Stirling , mas com a intenção real de fixação pelas raposas.


The Scots army – roughly a quarter the size of the enemy force – was poised to the south of Stirling, ready to make a quick withdrawal into the wild country to the west. O exército escocês - aproximadamente um quarto do tamanho da força inimiga - foi posicionada ao sul de Stirling, pronto para fazer uma rápida retirada para o país de selvagens ao oeste.


However, their position, just north of the Bannock Burn , had strong natural advantages, and the king made ready to suspend for a time the guerrilla tactics pursued hitherto. No entanto, a sua posição, logo ao norte da Bannock Burn , tinha grandes vantagens naturais, e o rei se dispunha a suspender por um tempo, a tática de guerrilha defendida até agora.


On the morning of the 24 June, the day of the main battle, Barbour states that Douglas was made a knight, which would have been curiously late in his career. Na manhã de 24 de Junho, o dia da batalha principal, os estados Barbour que Douglas foi feito cavaleiro, que teria sido, curiosamente ao final de sua carreira.


Many believe that Douglas was made a knight banneret . Muitos acreditam que Douglas foi feito um estandarte cavaleiro .


The knight banneret was established under Edward I. A knight banneret was not one with command responsibilities so much as one with greater honours. O estandarte cavaleiro foi criado no reinado de Eduardo I. Um estandarte cavaleiro não era um com responsabilidades de comando tanto como um com matrículas de honras maiores.


A knight banneret fought under their own banner unlike a knight bachelor who was limited to a pennon . Um estandarte cavaleiro lutava sob sua própria bandeira, ao contrário de um bacharel cavaleiro que se limitava a uma flâmula .


In his The Bruce , John Barbour states in Book XV that Douglas fought under his own banner, hence Douglas had to be a knight banneret. Em seu The Bruce , John Barbour afirma, no seu livro XV que Douglas lutou sob sua própria bandeira, portanto, Douglas teve que ser um estandarte cavaleiro.


Barbour does states Douglas and others were knighted on the field of the Battle of Bannockburn , "each in their own degree" which would seem to say that not all were knights bachelor. Barbour afirma: Douglas e outros foram feitos cavaleiros no campo de batalha de Bannockburn ", cada um em seu próprio nível", que parecem dizer que nem todos os cavaleiros eram solteiros.


Others believe that he was knighted late in his career. Outros acreditam que foi condecorado no final de sua carreira. There is disagreement on the point. Há discordância sobre este ponto.


Traditional Scottish accounts state that during the battle, Thomas Randolph commanded the vanguard, the left wing though nominally led by the young Walter Stewart was commanded by his cousin Douglas, Edward Bruce took the right wing, and King Robert the rearguard. However contemporary English accounts state that the Scottish army consisted of three units, so the idea that Douglas and Stewart commanded a unit could be later invention or the English account is simply mistaken. Tradicional estado de contas escocesa que durante a batalha, Thomas Randolph comandou a vanguarda, a ala esquerda embora nominalmente liderada pelo jovem Walter Stewart foi comandado por seu primo Douglas, Edward Bruce teve a ala direita, e Rei Robert na retaguarda. No entanto o estado de contas Inglês que o exército escocês consistia em três unidades, de forma que a idéia de que Douglas e Stewart comandou uma unidade poderia ser posterior a invenção ou a conta de Inglês é simplesmente equivocada.
Once the English army was defeated Douglas requested the honour of pursuing the fleeing Edward and his party of knights, a task carried out with such relentless vigour that the fugitives, according to Barbour, "had not even leisure to make water." Uma vez que o exército Inglês foi derrotado Douglas solicitou a honra de perseguir a fuga de Edward e seu grupo de cavaleiros, uma tarefa levada a cabo com vigor tão implacável, que os fugitivos, segundo Barbour ", ainda não tinha lazer para tornar a água."


In the end Edward managed to evade Douglas by taking refuge in Dunbar Castle . No final Edward conseguiu escapar de Douglas, refugiando-se no Castelo de Dunbar .


Bannockburn effectively ended the English presence in Scotland, with all strongpoints – outwith Berwick – now in Bruce's hands. Bannockburn terminou eficazmente a presença Inglêsa na Escócia, com todos os pontos fortes – fora de Berwick - agora em mãos de Bruce.


It did not, however, end the war. Não, porém, o fim da guerra. Edward had been soundly defeated but he still refused to abandon his claim to Scotland. Edward tinha sido derrotado, mas ele ainda se recusava a abandonar suas pretensões para a Escócia. For Douglas one struggle had ended and another was about to begin. Para Douglas uma luta tinha terminado e outra estava prestes a começar.


Cont. ...

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

HERÓIS DA ESCÓCIA - JAMES DOUGLAS - Parte.2



A DESPENSA DE DOUGLAS












Tudo o que resta da casa que ficava no local de Castle Douglas





















Interior dos restos mortais do Castelo Douglas




Douglas's actions for most of 1307 and early 1308, although confined for the most part to his native Douglasdale, were essential to keeping the enemy in the South and freeing Bruce to campaign in the north.

As ações de Douglas durante a maior parte de 1307 e início de 1308, embora confinado em sua terra natal Douglasdale, foram essenciais para manter o inimigo no Sul e libertar Bruce para fazer campanha no norte do país.

He soon created a formidable reputation for himself as a soldier and a tactician. Ele logo criou uma formidável reputação para si mesmo como um soldado e um tático.

While Bruce was campaigning in the north against his domestic enemies, Douglas used the cover of Selkirk Forest to mount highly effective mobile attacks against the enemy. Enquanto Bruce estava em campanha no norte do país contra seus inimigos internos, Douglas usou a cobertura da Floresta de Selkirk para montar ataques móveis altamente eficazes contra o inimigo. He also showed himself to be utterly ruthless, particularly in his relentless attacks on the English garrison in his own Douglas Castle , the most famous of which quickly passed into popular history. Ele também se mostrou totalmente desapiedado, especialmente em seus ataques implacáveis ​​à guarnição Inglêsa em seu próprio Castle Douglas, o mais famoso dos que rapidamente passou para a história popular. Barbour dates this incident to Palm Sunday 1307, which fell on 19 March. Some question whether this date is too early as Bruce and his small army were not yet established in south-west Scotland, suggesting Palm Sunday 1308 – 17 April – as a more accurate date. Barbour data este incidente para o Domingo de Ramos de 1307, que caiu em 19 de março. Alguns questionam essa data como muito cedo, pois, Bruce e seu pequeno exército, ainda não estavam estabelecidos no sudoeste da Escócia, o que sugere que o Domingo de Ramos 1308-17 de Abril - como uma data mais precisa. However, Barbour states that at the time of the Douglas Larder that the Scots were not yet established in south-west Scotland and indeed that Douglas was the only one of Bruce's men anywhere in the area, there is reason to think that Barbour's date is probably correct. No entanto, Barbour afirma que, no momento da despensa de Douglas os escoceses não estavam definidos, no sudoeste da Escócia, e de fato que Douglas foi o único dos homens de Bruce em toda a área, e não há razão para pensar que a data de Barbour seja provavelmente correta. Barbour says that the Larder was the first act toward becoming established in that part of Scotland. Barbour disse que a despensa foi o primeiro ato feito que o estabelece na parte da Escócia.
With the help of local farmer Thomas Dickson, a former vassal of his father, Douglas and his small troop were hidden until the morning of Palm Sunday, when the garrison left the battlements to attend the local church.

Com a ajuda de um agricultor local, Thomas Dickson, um ex-vassalo de seu pai, Douglas e sua pequena tropa estavam escondidos até a manhã do Domingo de Ramos, quando a guarnição da esquerda deixou as ameias para freqüentar a igreja local. Gathering local support he entered the church and the war-cry 'Douglas!' Encontrou suporte local, quando entrou na igreja e o grito de guerra 'Douglas! 'Douglas!' 'Douglas! went up for the first time.subiu pela primeira vez. Some of the English soldiers were killed and others taken prisoner. Alguns dos soldados Ingleses foram mortos e outros capturados. The prisoners were taken to the castle, now largely empty. Os presos foram levados para o castelo agora praticamente vazio. All the stores were piled together in the cellar; the wine casks burst open and the wood used for fuel. Todas as tendas foram empilhadas juntas no porão, os barris de vinho foram abertos e a madeira usada para combustível. The prisoners were then beheaded and placed on top of the pile, which was set alight. Os prisioneiros foram degolados e colocados no topo da pilha, que foi incendiada. Before departing the wells were poisoned with salt and the carcases of dead horses. Antes da partida os poços foram envenenados com sal e as carcaças de cavalos mortos. The local people soon gave the whole gruesome episode the name of the 'Douglas Larder.' O povo local logo deu a todo o episódio macabro o nome de a Despensa de Douglas. As an example of frightfulness in war it was meant to leave a lasting impression, not least upon the men who came to replace their dead colleagues. Como exemplo de atrocidade da guerra que era para deixar uma impressão duradoura, pelo menos sobre os homens que vieram para substituir os colegas mortos. Further attacks followed by a man now known to the English as 'The blak Dowglas', a sinister and murderous force "mair fell than wes ony devill in hell." It would seem in this that Douglas was an early practitioner of psychological warfare – as well as guerrilla warfare – in his knowledge that fear alone could do much of the work of a successful commander. Ataques se seguiram por um homem conhecido agora pelo Inglês como "O Dowglas Blak ', uma força sinistra e assassina" Mair caiu de wes ony devill no inferno”. Parece que neste início Douglas foi um praticante de violência da guerra psicológica - assim como a guerra de guerrilha - em seu conhecimento que o medo só pode fazer parte do trabalho de um comandante de sucesso. In August 1308 Douglas met the king for a joint attack on the MacDougalls of Lorn, kinsmen of the Comyns, the climax to Bruce's campaign in the north. Em agosto 1308 Douglas se reuniu com o rei para um ataque conjunto no MacDougalls de Lorn, parentes do Comyns, o clímax da campanha de Bruce, no norte. Two years before, the Macdougalls had intercepted and mauled the royal army at the Battle of Dalrigh. Dois anos antes, os MacDougall tinham interceptado e atacado o exército do rei na batalha de Dalrigh. Now they awaited the arrival of their opponents in the narrow Pass of Brander, between Ben Cruachan and Loch Awe in Argyllshire. Agora, eles aguardavam a chegada de seus adversários na estreita passagem de Brander, entre Ben Cruachan e Loch Awe em Argyllshire. While Bruce pinned down the enemy in a frontal advance through the pass, Douglas, completely unobserved, led a party of loyal Highlanders further up the mountain, launching a surprise attack from the rear. Enquanto Bruce imobilizava o inimigo em um avanço frontal através da passagem, Douglas, completamente inadvertido, liderou um grupo de escoceses fiéis ainda mais para cima da montanha, a fim de lançar um ataque surpresa por trás. Soon the Battle of Pass of Brander turned into a rout. Logo a batalha do Passo do Brander se transformou em uma derrota. Returning south soon after, Douglas joined with Edward Bruce , the king's brother, in a successful assault on Rutherglen castle near Glasgow , going on to a further campaign in Galloway. Retornando ao sul, logo depois, Douglas se juntou com Edward Bruce , irmão do rei, em um ataque bem sucedido ao castelo Rutherglen perto de Glasgow , passando a uma campanha em Galloway.


Cont...

domingo, 26 de junho de 2011

HERÓIS DA ESCÓCIA IV - JAMES DOUGLAS - Part.1

James Douglas, Senhor de Douglas



mulo de Sir James, Kirk's Bride St, Douglas.
Nasceu: c.1286 c.1286 Lanarkshire , na Escócia
Morreu: 1330 ( 1331 ) 1330 (1331) Batalha de Teba , Andalucia
Profissão: Lider Escocês de Guerrilha e General , durante a Guerra da Independência Escocesa
Filhos: William IV, Lord of Douglas , Archibald the Grim



Pais: Sir William Douglas de Hardy , Elizabeth Stewart, filha de Alexandre, High Steward da Escócia

Sir James Douglas (also known as Good Sir James and the Black Douglas ), (circa 1286 – August 25, 1330), was a Scottish soldier and knight who fought in the Scottish Wars of Independence .

Sir James Douglas (também conhecido como o Bom Sir James Douglas e o Negro), (cerca 1286 - 25 de agosto de 1330), foi um soldado escocês e cavaleiro que lutou na Guerra da Independência Escocesa .

He was the eldest son of Sir William Douglas , known as "le Hardi" or "the bold", who had been the first noble supporter of William Wallace (the elder Douglas died circa 1298, a prisoner in the Tower of London ).

Ele era o filho mais velho de Sir William Douglas, conhecido como "le Hardi" ou "negrito", que tinha sido o primeiro nobre defensor antes de William Wallace (o Douglas morreu perto de Élder em 1298, como um prisioneiro na Torre de Londres ).

His mother was Elizabeth Stewart, the daughter of Alexander Stewart, 4th High Steward of Scotland , who died circa 1287 or early 1288.

Sua mãe era Elizabeth Stewart, a filha de Alexander Stewart, 4 High Steward da Escócia , que morreu por volta de 1287 ou início de 1288.

His father remarried in late 1288 so Douglas' birth had to be prior to that; however, the destruction of records in Scotland makes an exact date or even year impossible to pinpoint.

Seu pai casou-se novamente, no final de 1288 assim, o nascimento de Douglas deve ser anterior à data, no entanto, a destruição de registros na Escócia, faz uma data exata ou mesmo de anos, impossível de identificar.


Escudo das armas de Sir James o Bom

O poeta e cronista John Barbour nos fornece um retrato a pena do Douglas Black, entre os primeiros do gênero na história da Escócia;
But he was not so fair that we

Mas ele não era tão justo que
Should praise his looks in high degree .

De se elogiar sua aparência em alto grau.
In visage he was rather grey;

No rosto, ele era bastante cinzento;
His hair was black, so I heard say,

Seus cabelos eram pretos, assim que ouvi dizer,
His limbs were finely made and long,

Seus membros eram bem-feitos à longo prazo,
His bones were large, his shoulders strong,

Seus ossos eram grandes, ombros fortes,
His body was well-knit and slim

Seu corpo foi bem construído e magro
And those say that set eyes on him,

E aqueles que dizem que colocavam os olhos nele,
When happy, loveable was he,

Quando feliz, era amável,
And meek and sweet in company,

E manso e doce na empresa,
But those with him in battle saw

Mas os que com ele estavam na batalha viam
Another countenance he wore!

Outro rosto que ele usava!




O início da luta
Douglas was sent to France for safety in the early days of the Wars of Independence, and was educated in Paris.

Douglas foi enviado à França por segurança nos primeiros dias da Guerra de Independência, e foi educado em Paris.

There he met William Lamberton , Bishop of St. Andrews

Lá ele conheceu William Lamberton , bispo de St. Andrews , who took him as a squire. Andrews , que o levou como escudeiro. He returned to Scotland with Lamberton.

Ele retornou para a Escócia com Lamberton. His lands had been seized and awarded to Robert Clifford . Suas terras foram apreendidas e atribuídas a Robert Clifford . Lamberton presented him at court to petition for the return of his land shortly after the capture of Stirling Castle in 1304, but when Edward I heard whose son he was he grew angry and James had to leave. Lamberton o apresentou na corte para pedir o regresso da sua terra logo após a captura do Castelo de Stirling em 1304, mas quando Edward ouviu de quem ele era filho, se enfureceu e James teve que sair.
For Douglas, who now faced life as a landless outcast on the fringes of feudal society, the return of his ancestral estates was to become an overriding consideration, inevitably impacting on his political allegiances.

Para Douglas, que agora enfrenta a vida como um pária sem-terra nas franjas da sociedade feudal, o retorno às suas propriedades ancestrais se tornou uma consideração fundamental, que inevitavelmente repercutem na sua lealdade política.

In John Barbour's rhyming chronicle, The Brus , as much a paean to the young knight as the hero king, Douglas makes his feelings plain to Lamberton;

Na crônica de rimas John Barbour, The Brus, tanto um hino ao jovem cavaleiro como para o rei herói, Douglas faz seu sentimento claro para Lamberton;

Sir, you see Senhor, você vê
How the English tyrant forcibly
Como o tirano Inglês pela força
Has dispossessed me of my land;
Desapossou-me de minha terra;
And you are made to understand
E se fazem entendender
That the earl of Carrick claims to be Que o conde de Carrick afirma ser
The rightful king of this country. O legítimo rei deste país.
The English, since he slew that man,
O Inglês, já que ele matou esse homem,
Are keen to catch him if they can;
Estão ansiosos para pegá-lo, se puderem;
And they would seize his lands as well
E eles iriam aproveitar suas terras, bem
And yet with him I faith would dwell!
E ainda com ele a fé que vivem!
Now, therefore, if it be your will,
Agora, portanto, se for sua vontade,
With him will I take good or ill.
Com ele eu vou ter o bem ou mal.
Through him I hope my land to win
Através dele espero a minha terra para ganhar
Despite the Clifford and his kin.
Apesar dos Clifford e seus parentes.

This was a particularly dramatic moment in Scottish history: Robert Bruce, earl of Carrick had slain John Comyn , a leading Scottish rival, on 6 February 1306 at Greyfriars Kirk in Dumfries . Este foi um momento particularmente dramático na história da Escócia: Robert Bruce, conde de Carrick havia matado John Comyn , um líder rival escocês, em 06 de fevereiro de 1306 em Greyfriars Kirk em Dumfries . Bruce immediately claimed the crown of Scotland, in defiance of the English king. Bruce reivindicou imediatamente a coroa da Escócia, desafiando o rei Inglês. Less than seven weeks after the killing in Dumfries, Bruce was crowned King on March 25. Menos de sete semanas após o assassinato, em Dumfries, Bruce foi coroado Rei em 25 de março. It was while he was on his way to Scone , the traditional site of Scottish coronations, that he was met by Douglas, riding on a horse borrowed from the bishop. Foi enquanto ele estava a caminho de Scone , o tradicional local das coroações escocês, que foi recebido por Douglas, montado em um cavalo emprestado do bispo. Douglas explained his circumstances and immediately offered his services; Douglas explicou sua situação e imediatamente ofereceu seus serviços;
And thus began their friendship true E assim começou a verdadeira amizade
That no mischance could e'er undo Que azar não poderia desfazer
Nor lessen while they were alive. Nem diminuir, enquanto eles estavam vivos.
Their friendship more and more would thrive. Sua amizade cada vez mais iria prosperar.
Douglas was set to share in Bruce's early misfortunes, being present at the defeats at Methven and Battle of Dalrigh . Douglas foi criado para compartilhar o início de infortúnios de Bruce, que está presente na derrota na Batalha de Methven e de Dalrigh . But for both men these setbacks were to provide a valuable lesson in tactics: limitations in both resources and equipment meant that the Scots would always be at a disadvantage in conventional Medieval warfare. Mas para ambos os homens foram estes contratempos que forneceram uma valiosa lição de táctica: as limitações de recursos e equipamentos fizeram com que os escoceses estivessem sempre em desvantagem na guerra medieval convencional. By the time the war was renewed in the spring of 1307 they had learnt the value of guerrilla warfare – known at the time as 'secret war' – using fast moving, lightly equipped and agile forces to maximum effect against an enemy often locked in to static defensive positions. Até o momento em que a guerra foi renovada na primavera de 1307 eles tinham aprendido o valor de guerrilha - conhecido na época como "guerra secreta" - usando movimentos rápidos, levemente equipados e as forças ágeis para um efeito máximo contra um inimigo muitas vezes preso a estáticas posições defensivas.


Cont...

terça-feira, 14 de junho de 2011

HEROIS DA ESCÓCIA III - ROBERT THE BRUCE - ROBERT I DA ESCÓCIA

Introdução
Robert Bruce VII, também conhecido como Robert I (Roibert a Briuis, em irlandês médio; Raibeart Bruis, em gaélico escocês; Robert de Brus ou Robert de Bruys em anglo-normando; Robert the Bruce em inglês moderno), rei da Escócia, nasceu nas terras ancestrais da família Bruce, provavelmente no castelo de Turnberry, em Ayrshire, em 11 de julho de 1274 e morreu em 7 de junho de 1329), tendo se auto-coroado rei da Escócia em 1306. Está sepultado na Abadia de Dunfermline. Seu nome Bruce deriva do normando de Brus ou de Bruys, que vem de Brix, próximo a Cherbourg, na Normandia. Sua família já era bastante antiga. Robert I era protegido de Henrique I (1100-1135), rei da Inglaterra.
Robert Bruce VII foi um dos mais famosos e corajosos guerreiros de sua geração. Comandou os escoceses durante as Guerras de Independência Escocesa contra o domínio esmagador da Inglaterra. Reivindicou o trono na qualidade de descendente (sexta geração) de Davi I da Escócia. Era o segundo conde de Carrick, para se distinguir do pai e do avô, que tinham o mesmo nome; ele é frequentemente referido como Robert Bruce VII, já que todos os primogênitos tinham o nome de "Robert". No fim da vida, doente, refugiou-se no castelo de Cardoss, na margem norte do Firth of Clyde. Era neto de Robert Brus V "o Nobre" ou "o Velho Pretendente" que, em 1286, quando morreu Alexandre III, tinha sido pretendente ao trono contra Balliol e contra os Comyn, poderosa família da época, que controlava grande parte da administração escocesa na corte.
Primogênito, foi o sétimo senhor de Annandale e Rei da Escócia em 1306. Seu pai, também chamado Robert Bruce, conhecido como Robert Bruce VI (1253-1304), senhor de Annandale, cujas terras sua família comandava havia gerações, era também conde de Carrick por direito de sua esposa, com quem se casou em 1271 e era senhor do castelo de Turnberry também pelo direito da esposa. O Condado de Carrick, no sudoeste da Escócia, não existia com esse nome até 1186. Toda a região sudoeste da Escócia era denominada Galloway, e era povoada por descendentes dos Pictos, possuindo um governo próprio (um rei ou sub-rei). Em 1186, para resolver um problema de herança e sucessão, Galloway foi amputado para que surgisse o condado de Carrick.
A juventude do futuro rei foi igual àquelas que são ensinadas aos jovens nobres e cavaleiros. Conviveu com as duas culturas reinantes naquela época: a gaélica, já que sua mãe descendia desse povo e as terras de Carrick eram gaélicas havia gerações, e com a anglo-normanda, que, vinda da Inglaterra, influenciava a Escócia. As duas casas reais tinham um longo passado de parentesco e a Escócia era vista como a irmã pobre da ilha, mais atrasada e rural do que a Inglaterra. Robert com certeza viajava muito com o pai entre as terras e castelos da família, Lochmaben em Annandale e Turnberry e Loch Doon em Carrick, passando temporadas nas terras inglesas, o que era comum, pois muitos lordes possuíam terras na nação vizinha. Robert também frequentou a corte de Eduardo I desde muito jovem por influência do pai, e jurou fidelidade ao rei inglês em 1296 enquanto conde de Carrick pois era costume no sistema feudal. Além disso, ele combatia o clã dos Balliol, que competiam com os Bruces pelo trono. Renovou o voto de homenagem mais tarde em Carlisle. Muito provavelmente era letrado e falava o latim, língua da igreja católica, o francês, falado constantemente na Inglaterra, e o gaélico escocês. Devia ser treinado nas artes cavalheirescas, na espada e na luta corporal.
Os Bruces são um interessante anacronismo. Eles absorveram aspectos de diferentes culturas, em especial da gaélica, de onde Robert tinha ascendência até seis gerações. Havia algumas similaridades entre a vida gaélica e a anglo-normanda que muito certamente definiram o jeito de ser do futuro rei: ambas toleravam certa violência e as duas davam grande valor à lealdade aos seus senhores e à sua identidade.


A Maldição
Esta é uma história curiosa da família Bruce. Diz-se que Robert Bruce II, em 1148, recebera a visita em seu castelo do santo irlandês Malachy O'More, arcebispo da igreja cristã irlandesa, e que passava pela Escócia a caminho de Roma. Bruce então o acolheu em seu castelo e durante a visita, Malachy tomou partido de um ladrão que Robert tinha condenado à forca, pedindo que sua vida fosse poupada. Ao fazer isso, Bruce recebeu a bênção de Malachy. Porém, na manhã seguinte, Malachy viu o corpo do ladrão balançando na forca no pátio do castelo e notou que Robert o enforcara sem piedade, mesmo o tendo poupado no dia anterior. O arcebispo não teve dúvidas. Revogou a bênção e lançou uma maldição contra a família, suas terras e seus domínios. Não se sabe o teor da maldição, no entanto é histórico o fato de que três herdeiros de Robert II morreram em seguida. Outros casos de azar assolaram a família Bruce pelas gerações seguintes, como o castelo de Annandale sendo levado pelas águas da chuva, perdas de colheitas, mortes de filhos e filhas. Sendo ou não verdadeira, a maldição perseguiu os herdeiros dos Bruce por muito tempo.


A morte de Alexandre III
A Escócia tinha sido um reino independente, apesar dos problemas e vinha aos poucos tentando se igualar ao seu vizinho na ilha quando em 18 de março de 1286 o rei Alexandre III morreu ao sofrer uma queda de seu cavalo. O rei tinha morrido deixando o trono vago, pois seu herdeiro também estava morto. Apesar das alegações da rainha Yolande de estar grávida, logo confirmou-se que o único herdeiro vivo do trono era a neta de Alexandre, Margarida, a Donzela da Noruega,(ou, em inglês: Margaret) de três anos, filha do rei Érico II da Noruega, com a filha de Alexandre, também chamada Margarida (ou, em inglês: Margaret), já morta.
Para preservar o trono e a ordem, os nobres escoceses pediram ajuda ao rei Eduardo I da Inglaterra, conhecido como Longshanks, cruel além da medida com os escoceses. Possivelmente, no cenário trágico que todos viviam, ele era o único capaz de manter a ordem até o trono ser ocupado.
Para achar um possível rei, os nobres e a igreja escocesa voltaram-se para os registros de antigos reis e rainhas para descobrir competidores. Duas famílias despontaram na escolha: os Balliol e os Bruces. Os Balliol descendiam de uma das netas do rei David I (1124-1153), chamada Margaret. Os Bruces descendiam de Isabel, também uma das netas de David I. A questão era quem tinha maior possibilidade de ser rei, já que ambos tinham fortes laços de parentesco com a coroa. A briga pela sucessão começou com John Balliol e Robert Bruce V, "o Nobre". Este, no entanto, morreu em seguida, passando para seu filho Robert Bruce VI, pai do futuro rei, a incumbência de conseguir o trono. Enquanto o trono estava vago, vários guardiões mantinham a administração.
A 17 de novembro de 1292, Eduardo I favoreceu John Balliol ao trono, encerrando a questão, trazendo ira aos Bruces e seus aliados. Em 30 de novembro, Balliol foi coroado rei com ampla pompa e falta de apoio dos Bruces, que se retiraram para suas terras logo em seguida. Porém, para alívio de Robert, as relações entre Balliol e Eduardo eram precárias. Na guerra contra a França, Eduardo pedira o envio de homens, armas e suprimentos, que Balliol prontamente negou. Além disso, os Bruces se negavam a renovar os votos com o rei e de pagar tributos, e Balliol confiscou as terras da família em 1289. Balliol buscou ajuda com Filipe da França contra Eduardo I.
Robert de Bruce. ( foto)
Conflitos começaram a ocorrer entre aliados dos Balliol e dos Bruces, o que acendeu o pavio da guerra pela independência. Eduardo I se viu obrigado a combater os Balliol, e os Bruces apoiaram, pois se recusavam a lutar pelo rei que julgavam ilegítimo. A esperança de Robert Bruce VII, que se tornara senhor de todas as terras da família com a morte do pai em 1304, era de ser coroado rei logo que Balliol caísse. Eduardo I, no entanto, não tinha intenção de colocar rei algum sobre a Escócia, a não ser ele mesmo.
Em 1296 várias coisas aconteceram a Robert Bruce VII: seu pai lhe passara o condado de Carrick; ele casou-se com Isabel de Mar, filha do Conde de Mar e meses mais tarde teve uma filha chamada Marjorie.
Ao norte, em Lanark, William Wallace atacou e matou William Hesilrig, xerife inglês na região e então o levante popular começou. Wallace era filho de um cavaleiro da coroa, ao contrário do que dizem algumas fontes de que ele era um plebeu. Pouco depois, com seus vassalos Carrick, Bruce uniu-se à revolta de William Wallace. Os ingleses começaram a tomar vários castelos pelo país, entre eles alguns importantes como Edimburgo e Berwick. O que fez Bruce ir contra a família, arriscando sua fortuna e suas terras não se sabe, no entanto, o movimento de Wallace perdeu apoio dos nobres, mesmo com vitórias como na batalha de Stirling.
Obrigado a capitular em 1297, submeteu-se outra vez. Quando Wallace renunciou à Guarda da Escócia, Bruce e um sobrinho de Balliol, John "Red" Comyn o substituíram como guardiães conjuntos. Foi nomeado em 1298 um dos quatro guardiães da Escócia (1298); não lutou contra Eduardo até o levante final de 1306 e esteve mesmo ao lado de Eduardo I em 1304 - mas parece ter tido então contatos com os defensores da causa nacional.


A Guerra da Independência
Uma das batalhas mais decisivas teve lugar em 1302. Teve lugar não na Escócia mas em Flandres quando em Courtrai, a cavalaria francesa foi completamente destruída por um exército de soldados da infantaria flamenga armados de lanças que enfrentaram os cavaleiros antes de os massacrar. A batalha foi decisiva porque os escoceses não estavam ganhando sua guerra contra os ingleses mas Eduardo lutava em duas frentes, e achava cada vez maiores dificuldades. Diversas campanhas inglesas na Escócia só haviam conseguido destruir pela fome seus exércitos invasores. Mas com o rei francês sem exército, pedindo paz a Eduardo, os escoceses só tinham uma opção: enfrentar ou render-se. Para crédito seu, enfrentaram os ingleses até 1305.
Estátua equestre de Robert de Bruce. (foto)
Seis meses depois da execução da Wallace, a rebelião ainda persistia na Escócia e o homem que se encarregava disso era Robert Bruce, conde de Carrick, senhor ou Lord of Annandale. Desde a morte do pai herdara seu direito ao trono, e estava disposto a se impor pela força. Sua família tinha laços com os magnatas do norte e ao sul da fronteira. A Abadia de Guisborough na Nortúmbria tinha sido fundada pelos Bruce. Como competidor, Bruce tinha laços na corte inglesa e propriedades extensas na Inglaterra: aplicava a lei como «justiciar» em nome do rei Eduardo, no norte da Inglaterra. Seu filho também tinha laços com a corte inglesa e durante certo tempo chegou a ser guardião do castelo de Carlisle. O jovem Robert Bruce cresceu na corte de Eduardo e tinha muito conhecimento dela, e era ainda um favorito do rei Eduardo. Entretanto, era conhecido por seu temperamento duro, e tinha a sensação que sua família tinha sido privada da coroa escocesa. Nos anos iniciais da rebelião, Bruce hesitava ao perceber que queria lutar pela Escócia, consciente de que qualquer luta teria que ser travada em nome de Balliol. E, assim como a maior parte dos magnatas escoceses, mudou de lado em mais de uma ocasião, segundo soprassem os ventos. No início de 1306, porém, as coisas tinham mudado.
Um incidente decidiu seu futuro: a altercação em 1306 com John "Red" Comyn, senhor de Badenoch sobrinho de John Balliol, rival com direitos ao trono. Diz-se que, buscando uma reconciliação, apunhalou-o impulsivamente em Dumfries em 10 de fevereiro de 1306 dentro da igreja dos frades menoritas (franciscanos). Depois disso, retornou ao acampamento de Eduardo em busca do perdão mas foi outra vez proscrito e excomungado pela Igreja. Teve que fugir e se esconder numa caverna, numa ilha da costa da Irlanda. Era o chefe da família e enfrentava uma crise. Estava em Londres quando soube que John "Red" Comyn, senhor de Badenoch, tinha desvendado ao rei Eduardo um complô que Bruce tecia para obter o trono. Bruce fora avisado e pôde escapar. Por isso o encontro na igreja em Dumfries, mas o assassinato mudou dramaticamente sua situação. A opção que lhe restava era lutar pelo trono o mais depressa possível e lidar como rei com a ira dos Comyn. Decidiu ir para Scone, passando por Glasgow para ser absolvido do assassinato sacrílego.


Coroação
Estátua de Bruce perto do Castelo de Stirling. (foto)
Tornando-se campeão da nação escocesa, Bruce fez-se coroar em 27 de março de 1306 em Scone. Dois meses depois foi coroado em Scone outra vez pela condessa de Buchan Isabella MacDuff, a viúva de John Comyn, conde de Buchan (1260-1306), primo do assassinado John "Red" Comyn, senhor de Badenoch. Isabella era filha de Duncan III, conde de Fife, do partido oposto; e como representante de seu irmão ainda criança (o futuro Duncan IV de Fife), ela coroou Bruce. Por causa disso, os ingleses a prenderam em uma gaiola de ferro em Berwick Castle, e soltaram-na apenas em troca de Humphrey de Bohun. Os Condes de Buchan, de início, estavam unidos ao condado de Mar. Alexander Comyn (1235-1290), dos mais poderosos, herdou enormes propriedades em Galloway, Fife e Lothians e o cargo de condestável ou constable por direito da mulher. Era um dos magnatas que em 1283 se comprometeram a manter a sucessão da coroa de Margarida da Escócia e um dos seis Guardiães nomeados na morte de Alexandre III da Escócia em 1285. Seu filho John tinha sido um dos nomeados por Balliol em 1291 e lutou contra Robert Bruce até dezembro de 1307 e de novo em maio de 1308, quando foi derrotado, depois do que se retirou para a Inglaterra, quando suas propriedades e honras na Escócia foram confiscadas.


Luta para manter o trono
Assim, apressadamente coroado em Scone, Robert foi derrotado pouco depois por uma pequena tropa inglesa em Methven, nos arredores de Perth. Mandando para o norte sua esposa e sua irmã, Bruce fugiu para o oeste com o que restava de seus homens. Ajudado por pequeno número de homens resolutos, enfrentou as forças inglesas que o perseguiam, controlando logo o sudoeste do país. Mas nem tudo eram rosas pois foi derrotado de novo por Lame John MacDougall em Dal Righ em Argyll, e fugiu para as ilhas.
Desconhece-se onde passou o inverno de 1306 para 1307 pois se nomeiam ilhas, desde Rathlin, no norte da Irlanda, a Orkney. Deve ter ficado em uma das Hébridas, talvez em terras de Angus og Macdonald, pois certamente sua esposa e sua irmã estavam tentando escapar num barco quando foram capturadas no castelo de Kildrummy e presas.
A guerra de independência durou de 1306 a 1314 e Bruce, de chefe da guerrilha, passou a líder nacional, apesar do pouco valor do direito ao trono. Suas maiores derrotas aconteceram em Perth (diante de um exército inglês), Methven e em Dalry, diante do senhor ou Lord de Argyll, parente do assassinado Comyn. A situação de início não lhe foi favorável, pois o reino era pisado pelas tropas inglesas e o norte da Escócia lhe era hostil. Mas durante o inverno, fez seus planos para o futuro e em 1307 sua sorte mudou, pois derrotou em maio os ingleses em Loudoun.
1307 foi o ano chave na luta escocesa pela independência. Bruce desembarcou em Turnberry, encontrando a área coberta de tropas inglesas. Soldados chefiados por seus irmãos mais novos foram capturados e decapitados. E repentinamente, a sorte - na colina de Loudon em Lanarkshire, Bruce venceu soldados ingleses. Eduardo, zangado, tinha ordenado a campanha para vencer Bruce mas estava doente e o exército marchou para o norte mas não chegou à Escócia. O rei Eduardo morreu nos arredores do rio Solway amaldiçoando os escoceses. Ordenou que ser cadáver fosse fervido e os ossos carregados com os soldados. Mas seu filho Eduardo II, mais pragmático, sem a força do pai, marchou rumo ao sul, para Londres.
Bruce resolveu capturar sua casa, o castelo de Turnberry e atacou o inimigo ali entrincheirado, por surpresa, tomando cavalos, armas, alimentos e soube então que três irmãos, sua esposa, irmã e filha estavam presos pelos ingleses. Embora rei, ainda não era apoiado pela maior parte dos aristocratas e teve que disputar castelo a castelo para expulsar os ingleses das terras da Escócia. Por sua perseverança, em 1324 tinha todos os castelos da Escócia em suas mãos, exceto o de Stirling. Um combate nas encostas do Ben Cruachan em Argyll derrotou os MacDougalls e chegou a vez dos Comyns. Na parte final de 1307 e durante 1308, as terras dos Comyns em Buchan e Badenoch foram devastadas e queimadas, depois confiscadas e oferecidas a partidários do rei.
Bruce reuniu seu primeiro Parlamento e depois de suas grandes vitórias em 1310-1314 teve o controle do norte, dos castelos de Edimburgo e Roxburgh. Stirling era agora o único bastião inglês ao Norte.


Bannockburn
Bruce em revista às tropas antes da batalha de Bannockburn. (foto)
No combate aos ingleses, ajudaram-no a incapacidade, o desinteresse, os problemas políticos de Eduardo II. Não houve mais invasão inglesa efetiva até 1314. Obteve o apoio da Igreja, destruiu a influência dos rivais, e afinal conseguiu expulsar os ingleses: derrotou em 1314 em Bannockburn o exército de Eduardo II que tentava perfurar o bloqueio ao castelo-fortaleza de Stirling. Stirling deveria, por acordo firmado com os homens que o guarneciam, ser entregue à Escócia no verão de 1314, mas os ingleses conseguiram levantar tropa e avançar para Stirling quando foram aniquilados por Bruce com um exército três vezes menor. Essa vitória espetacular de 24 de junho de 1314 em Bannockburn, perto do castelo de Stirling, sobre o exército inglês de 10 mil cavaleiros e 50 mil infantes não acabou a guerra [que só teria fim em 1328] mas decidiu a guerra civil escocesa, deixando-o sem rivais. A Inglaterra ficou paralisada por dez anos.
Depois de 1318, todos os grandes proprietários escoceses tiveram que decidir quais propriedades manteriam e jurar fidelidade ao rei apropriado - se quisessem ter suas terras escocesas, teriam que abandonar as propriedades na Inglaterra - ou o contrário. Nesse ano o Parlamento escocês passou um decreto segundo o qual se o rei morresse sem filhos, seu neto Robert Stewart seria seu sucessor - mas nasceu-lhe um outro filho, David II Bruce, em 1324.
A «Declaração de Arbroath» em 1320, reafirmação da independência da Escócia composta por seu chanceler Bernard de Linton, e uma missão a Avignon, persuadiram afinal o papa João XXII a reconhecê-lo como o rei da Escócia em 1322. A declaração é conhecida também como a primeira carta de direito de uma nação, tendo inspirado a Revolução Francesa.
Robert invadiu ainda duas vezes a Inglaterra e em 1323 concluiu com o rei Eduardo II uma trégua por treze anos. Quando Eduardo III subiu ao trono inglês em 1327 houve nova guerra, e os ingleses foram outra vez vencidos. Em 1328 assinaram os dois países o Tratado de York ou de Northampton, que reconhecia a independência da Escócia e o direito que tinha Bruce de nomear herdeiro ao trono. Roberto se aproveitou da subida ao trono do jovem rei para forçar o tratado, mas pouco depois morreu.


Morte
Máscara mortuária de De Bruce. (foto)
Quando a notícia de sua morte chegou à Inglaterra, a Escócia era livre e reis escoceses podiam ser ungidos. Bruce conseguiu mais em seu reino do que numerosos reis anteriores, pois conseguira unir um reino sob suas mãos. A partir de então, cessaram os conflitos de lealdade nos homens dos dois lados da fronteira entre os dois países. Foi graças a Bruce que a Escócia não desapareceu da história. Se Bruce não tivesse se empenhado na independência, muito provavelmente a Escócia não existiria hoje como país.
Como sempre quisera partir em Cruzada, quando morreu seu coração foi posto num cofre de prata e guardado por Sir James Douglas, que planejava uma Cruzada à Terra Santa. Douglas, a caminho, uniu-se às tropas do rei de Castela e morreu em luta contra os mouros. Antes de morrer, jogou o cofrezinho no meio do alvoroço da batalha e gritou: "Vá adiante, coração valente, como sempre fez e eu o seguirei ou morrerei!" O cofre foi recuperado e voltou à Escócia.
No final de sua vida, vê-se que Bruce conseguira aquilo pelo qual lutara. A Escócia, de novo um reino independente, o relembrará sempre como o Bom Rei Roberto e seu triunfo em Bannockburn é o legado que une os escoceses em qualquer lugar onde se achem. A Escócia nunca mais foi conquistada. O legado final de Bruce foi confirmar a Escócia como nação separada e distinta, não apenas um reino mas uma comunidade, um povo, no fim de tudo uma nação. Deixou o reino mais forte do que nunca, com parlamentos sendo regularmente convocados, impostos recolhidos, e botim inglês enchia os cofres. Havia paz entre os magnatas (uma conspiração descoberta foi tratada com severidade e os traidores punidos) e o serviço devido ao rei pelos barões regularizado e em ordem - uma grande melhora, em comparação com o passado.


Sua família
A irmã mais velha de Roberto, Isabel Bruce (c. 1272-1358), foi rainha da Noruega por seu casamento em 1293 com o rei Érico II da Noruega Prestehater. Foi, assim, madrasta de Margarida, a donzela da Noruega.
Outra irmã, Mary Bruce (c. 1273-1323), foi feita refém dos ingleses durante as guerras de independência da Escócia (assim como sua irmã Cristina, a condessa Isabella MacDuff, e também Marjorie e Elizabeth de Burgh, respectivamente filha e segunda esposa de Robert the Bruce). Mary foi libertada provavelmente em 1314. Casou-se duas vezes, a primeira com Sir Neil Campbell de Lochow, e a segunda com Sir Alexander Fraser, que morreu na batalha de Dupplin Moor em 1332.
Um irmão de Roberto, Eduardo Bruce (?-1318), que recebeu do irmão o título de conde de Carrick em 1313, foi por pouco tempo rei da Irlanda, entre 1316 e 1318.
Outros irmãos foram Nigel, Alexandre e Thomas, os quais apoiavam o irmão Roberto em sua pretensão ao trono da Escócia. Nigel foi preso, trazido a Berwick e decapitado em 1306. Alexandre era religioso, foi deão de Glasgow. Ele e Thomas também foram capturados e decapitados em 1307.
Outra irmã, Cristina Bruce (?-1357), casou-se três vezes. A primeira vez com Gartnait (? - 1305), (irmão da primeira esposa do rei Roberto I) filho de Donald, 6º conde de Mar; a segunda vez com Sir Christopher Seton (morto em 1306 em Dumfries). Feita refém dos ingleses, foi enviada a um convento. Depois de libertada, casou-se terceira vez com Sir Andrew Murray de Bothwell (1298-1338), duas vezes escolhido para ser Guardião da Escócia.
Roberto teve mais três irmãs: Matilda (ou Maud) foi a primeira esposa de Sir Hugo de Ross, conde de Ross. Margaret foi casada com Sir William de Carlyle. Outra irmã, cujo nome se desconhece, foi casada com Thomas Randolph de Strathdon.


Casamento e posteridade
De Bruce e Elizabeth de Burgh. (foto)
Roberto casou-se a primeira vez em 1296 com Isabel de Mar, filha de Donald, 6º conde de Mar, um grande apoiador da luta de Bruce pelo trono escocês. Isabel não foi rainha da Escócia, pois faleceu antes do marido tornar-se rei, em 1296 após dar à luz a única filha do casal:
Marjorie, casada com Walter Stewart, 6º Grande Steward ou senescal da Escócia. O filho deles tornou-se o rei Roberto II da Escócia, sucedendo ao tio David II.
Roberto casou segunda vez, em 1302, com Elizabeth de Burgh (?-1327), filha de Richard de Burgh, 2º conde de Ulster e 3º Barão de Connaught, chamado o "Conde Vermelho", um dos mais poderosos nobres irlandeses do final do século XIII e início do século XIV. Tiveram quatro filhos:
John (que faleceu pequeno)
Margaret, casada com Guilherme Sutherland, 5º conde de Sutherland
Matilda, casada com Thomas Isaac
David II Bruce ou David II da Escócia, que ainda criança sucedeu ao pai no trono. Entretanto, faleceu sem filhos e foi sucedido pelo sobrinho Roberto II.
Roberto também foi pai de diversos filhos ilegítimos, dentre os quais:
. Sir Robert, que morreu a 12 de agosto de 1332 na batalha de Dupplin Moor
. Walter
. Niall
. Margaret, casada com Robert Glen

Os descendentes de Roberto I da Escócia incluem todos os monarcas escoceses posteriores (exceto o usurpador Edward Balliol) e todos os futuros monarcas britânicos desde a União das Coroas em 1603.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

SOBRE O FILME ROB ROY - A SAGA DE UMA PAIXÃO


Versão 1995



Liam Nessonn nas marvilhosa paisagens da Escócia em Rob Roy











Desnecessário se faz editarmos a sinopse do filme, pois todos nós sabemos que, Rob Roy – A Saga de uma Paixão retrata na tela, a verdadeira, apaixonante e cheia de aventura história do herói escocês do século XVIII, Robert Roy MacGregor.



Filmado em cenários deslumbrantes da Escócia, numa paisagem de beleza indescritível,

sob surpreendente direção

e notável atuação do elenco,

com destaque para os vilões John Hurt, Brian Fox, Gilbert Martin e Tim Roth - (Cães de Aluguel) - antológico como um "bad man" afeminado e psicótico.



Tem como Robert Roy McGregor (Liam Neesom - A Lista de Schindler) e sua esposa Mary (Jessica Lange - Cabo do Medo).


É a refilmagem de "O Grande Rebelde" (Rob Roy, The Highland Roque /1954), de Harold French e de outra versão de 1922, que embora tenha me empenhado na pesquisa, não consegui encontrar a ficha técnica.






Rob Roy Tartan

Em 1994, a mais antiga fábrica de tartan da Escócia na Ilha de Islay foi convidada a tecer um tartan para o filme Rob Roy.



O tartan, tecido de forma tradicional em 14 onças de pura lã, foi inspirado nas cores da paisagem serrana e honra das terras altas, além de baseado no azul do Saltire da Escócia e da castanha representando a encosta altiplana.


Seu saiote foi feito sob medida e costurado à mão por uma equipe de peritos kiltmakers, usando a tela da melhor qualidade, forros, fivelas pesadas e também correias, completada com presilhas com o padrão e terminada com uma franja tripla.


Elenco












Liam Neeson (Rob Roy MacGregor)
Jessica Lange (Mary MacGregor)
John Hurt (Marquês de Montrose)
Tim Roth (Archibald Cunningham)
Eric Stoltz (MacDonald)
Andrew Keir (Duque de Argyll)
Brian Cox (Killearn)
Brian McCardie (MacGregor)
Gilbert Martin (Will Guthrie)
Vicki Masson (Betty)
Gilly Gilchrist (Iain)
Jason Flemyng (Gregor)
Ewan Stewart (Coll)

Ficha técnica
Título original: Rob Roy
Tempo de Duração: 139 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1995
Estúdio: United Artists / Talisman Productions
Distribuição: United Artists / UIP
Direcção: Michael Caton-Jones
Argumento: Alan Sharp, baseado no livro de Sir Walter Scott
Produção: Peter Broughan e Richard Jackson
Música: Carter Burwell
Fotografia: Karl Walter Leindenlaub
Desenho de Produção: Assheton Gordon
Direcção de Arte: John Ralph e Alan Tomkins
Guarda-Roupa: Sandy Powell
Edição: Peter Honess


Versão 1953
Ano: 1953
Nome / Título original: Rob Roy, the Highland Rogue
Gênero(s) do filme: Aventura, Filme Família
País de Origem: Reino Unido
Estúdio(s) de cinema: Walt Disney Productions


Elenco



- Richard Todd (Rob Roy MacGregor)
Galã britânico que alcançou algum sucesso em filmes norte-americanos também. Nascido na Irlanda, filho de um oficial britânico, Todd cresceu em Devon, e participou da Escola Pública de Shrewsbury .





- Glynis Johns (Helen Mary MacPherson MacGregor)
Glynis Johns, nasceu em 5 de outubro de 1923, Pretória, África do Sul, é atriz, dançarina, pianista e cantora e é considerada uma das artistas mais completas.

Filha do ator galês Mervyn Johns (1899-1992) e de Alys Steele, uma grande pianista, filha do ator britânico Gareth Forwood.



- James Robertson Justice (Duke Campbell, of Argyll)
James Robertson Justice foi sempre uma presença notável em um filme com a sua grande estatura, barba e voz potente.A Ph.D., um jornalista, um naturalista, um falcoeiro perito, um motorista de carro de corrida, JRJ foi certamente um homem de muitos talentos.






- Michael Gough (Duke of Montrose)
Michael Gough ficou famoso como o mordomo Alfred da franquia de filmes "Batman".

Em uma carreira que começou nos anos 1940, Gough atuou em mais de 150 filmes e programas de televisão.




- Eric Pohlmann (King George I)
Nascido em Viena.Estudou na Escola de Max Reinhardt.Os primeiros anos como animador de Reiss Bar, em Viena.Muitas vezes, apareceu na ainda existente Raimund-Theater.Encontrou sua mulher, Liselotte, no estágio em Brno (República Checa).


Diretor / Diretores

segunda-feira, 6 de junho de 2011

ROB ROY - O ROMANCE - RESUMO

Gravura Dalziel Brothers

Rob Roy (à esquerda) dá um aviso misterioso a Frank Osbaldistone (à direita) na cripta da Catedral de Glasgow , prometendo contar-lhe mais, se encontrá-lo mais tarde.
Isto leva a Frank ser puxado com os rebeldes.
Frontispício de uma edição de 1886 do romance.

Autor
Sir Walter Scott

País
Escócia e Inglaterra em simultâneo

Idioma
Inglês , Várzea escoceses , anglicizado gaélico escocês

Série
Novelas Waverley

Gênero (s)
romance histórico

Editora
Archibald Constable, de Edimburgo, Longman, Hurst, Rees, Orme e Brown, em Londres

Data de publicação
1817

Tipo de mídia
Impressão ( livro de capa dura & Paperback )

Páginas
501 (1995) edição

ISBN
NA

Precedido por
O antiquário

Seguido por
Ivanhoe



O Enrêdo do Romance


Rob Roy (1817) é um romance histórico de Sir Walter Scott e narrado por Frank (ou Francis) Osbaldistone, filho de um mercador Inglês que viaja primeiro para o norte da Inglaterra e. posteriormente, as Highlands escocesas para coletar um débito roubado de seu pai. No caminho, ele encontra Rob Roy MacGregor o personagem-título que dá maior vida ao romance . Apesar de Rob Roy não ser o personagem principal (na verdade, a narrativa não se move para a Escócia até o meio do livro), mas sua personalidade e ações são fundamentais para o desenvolvimento do romance.


A história se passa pouco antes do 1715 período jacobita, com grande parte da Escócia, em tumulto. Frank Osbaldistone, o narrador, briga com seu pai e é enviado para ficar com um tio, o senhor Hildebrand Osbaldistone, em Northumberland. Frank se apaixona por Diana Vernon, a sobrinha de Sir Hildebrand, cujo pai foi forçado a esconder-se por causa de suas simpatias Jacobita. O primo de Frank, Rashleigh, rouba documentos importantes, vitais para a honra e solvência econômica de William, pai de Frank, então, William e Frank perseguem Rashleigh pela a Escócia.


Várias vezes o seu caminho cruza com a misteriosa e poderosa figura de Robert Roy MacGregor , conhecido como Rob Roy, um associado do tio Diana Sir Hildebrand. Há muita confusão com a ação se deslocando para as belas montanhas e vales ao redor de Loch Lomond . Um destacamento do exército britânico é emboscado mas não há derramamento de sangue. Todos os filhos de Sir Hildebrand, são mortos no levante jacobita , e Rashleigh também encontra um final sangrento. Após isso, Frank herda a propriedade Sir Frank Hildebrand e se casa com Diana. O enrêdo tem sido criticado como incoerente. Robert Louis Stevenson, no entanto,que o amou desde da infância, considerou Rob Roy como o melhor romance de Scott e este, como o maior de todos os romancistas.


O romance é uma representação brutalmente realista das condições sociais nas terras altas e terras baixas da Escócia no início do século 18. Os escoceses foram comparados com os índios norte-americanos, no que diz respeito ao seu estilo de vida primitivo isolado.


Parte do amplo diálogo está em escocês, e o romance inclui um glossário de palavras escocesas.
Rob Roy foi escrito a partir da Primavera de 1817 e publicado no Hogmanay desse ano. Igualmente como o original romance Waverley foi publicado de forma anônima e chegou em três volumes. A demanda pelo romance foi enorme e um navio inteiro de Leith para Londres continha nada além de uma edição inteira dele. Além disso, Rob Roy foi escrito numa época em que muitos europeus começavam a lamentar o colonialismo e o imperialismo como os relatórios que circularam por traz das atrocidades terríveis feitas pelas culturas "primitivas". Foi também uma época em que os debates giravam em torno do comércio de escravos, dos britânicos na ocupação da Índia e, o mais relevante para a novela, o efeito desastroso das autorizações Highlands . Muitos escritores teriam louvado culturas pré-comerciais e seu desafio contra a influência corruptora do imperialismo comercial e valores civilizados.


William Wordsworth escreveu As Convenções de Cintra , louvando resistência portuguesa e espanhola à força de Napoleão; Byron iria elogiar as mulheres da Amazônia em Harold's Pilgrimage Childe, invertendo as “amáveis” normas de feminilidade que o moderno e “civilizado” mundo lhes impunha, e por fim, Walter Scott iria escrever sobre eventos semelhantes nas visões de Dom Roderick. O que era, evidentemente defendida antes de Scott escrever Rob Roy, era a resistência primitiva de uma cultura pré-comercial. O termo "guerrilha "surgiu durante este período, devido à influência da Guerra da Independência.

Personagens importantes em Rob Roy
(Em ordem de ocorrência)


Em Crane Alley, Londres
. Francis "Frank" Osbaldistone, narrador e protagonista
. William Osbaldistone, pai de Frank, o comerciante faz-se, parceiro ativo na Câmara dos Osbaldistone e Tresham
. Owen, secretário chefe da Osbaldistone e Tresham


O Caminho para Osbaldistone Hall
. Morris, agente do governo e de correio
. Campbell, também conhecido como Robert "Rob Roy" MacGregor, Highland cavalheiro e negociante de gado


Hall, Northumberland
. Miss Diana "Die" Vernon, a sobrinha de Sir Hildebrand Osbaldistone
. Sir Hildebrand Osbaldistone, irmão mais novo de William Osbaldistone e senhor de Osbaldistone Hall
. Rashleigh Osbaldistone, filho mais novo, Sir Hildebrand
. Squire Inglewood, local da Justiça e Paz.
. Joseph Jobson, secretário jurídico e da Justiça de Inglewood
. Andrew Fairservice, jardineiro escocês de Osbaldistone Hall, posteriormente, guia e agente de Frank



Glasgow
. Dougal, carcereiro de Rob Roy, na prisão de Glasgow, posteriormente, homem guia de patrulha britânica nas Highlands
. Bailie Nicol Jarvie, magistrado (oficial) e comerciante, cliente de e Osbaldistone Tresham, parente de Rob Roy



Clachan de Aberfoyle
. "Garschattachin", o Major Duncan Galbraith, cavalheiro da Várzea, líder da milícia Lennox
. Capitão Thornton, oficial do exército Inglês


As Terras Altas
. Helen MacGregor, esposa de Rob Roy
. O Duke, líder do exército britânico na Escócia



Retorno para Osbaldistone Hall
. Sir Frederick Vernon, pai de Diana


Referências culturais


. A marca do whisky escocês misturado, Bailie Nicol Jarvie , é nome de um personagem do livro.
. O coquetel de Rob Roy é semelhante a um coquetel de Manhattan que apareceu pela primeira vez em Nova York por volta de 1890.



(*) Leia o Romance on line em http://www.online-literature.com/walter_scott/rob-roy/ ou
http://www.gutenberg.org/ebooks/7025

domingo, 5 de junho de 2011

ROB ROY COMO ROMANCE E SEU AUTOR



Desde o início do século XIX, prenunciava-se, no norte da Europa, o surgimento do Romantismo,baseado nos fundamentos do sentimentalismo e da liberdade de criação.


A Inglaterra antecipou-se às grandes inovações da cultura e da ciência, vivendo um pré-romantismo, cujo poeta mais destacado foi William Blake (1757-1827), e um romantismo que deixou marcas em toda a literatura ocidental.

Seus poetas delineavam as características da poesia romântica européia: recriação de paisagens e de situações exóticas, insistência na beleza e na morte e afirmação do 'eu lírico'.



Contexto histórico-social
Entre 1798 e 1832, a Inglaterra deu um passo decisivo para sua hegemonia mundial, graças à sua poderosa industrialização.

Com a Revolução Industrial, surgiu uma nova classe social: o proletariado. No plano político, continuou a monarquia constitucional, que sancionava as leis e os decretos propostos pelo Parlamento.

No plano ideológico, prevalecia a influência do racionalismo francês sob a forma do empirismo, cujo fundamento continuava sendo a razão.

Ao empirismo pode-se acrescentar uma nova tendência do pensamento: o idealismo baseado no sentimento como forma de conhecimento.


A influência do Romantismo



A Revolução Francesa, pelo que teve de força libertadora em relação à criação artística, em muito influenciou os poetas românticos ingleses, que buscavam a análise dos sentimentos – base do Romantismo –, sem descuidar do protesto e da rebeldia.

Tudo isso era imbuído de uma grande naturalidade nas formas e nos temas, o que colaborou para a popularização da literatura romântica inglesa entre as outras literaturas do Ocidente.
O romance histórico foi um gênero narrativo típico do Romantismo.

O escritor e o artista românticos não se sentiam integrados ao mundo industrializado e materialista da Europa do século XIX.

A recriação de lendas, de heróis medievais ou de épocas passadas permitia-lhes escapar dessa realidade.

Alguns desses heróis simbolizavam a luta contra a tirania e a opressão política e sintetizavam o esforço pela construção de uma identidade nacional.



O romance romântico


O Romantismo coloca-se como uma reação ao Neoclassicismo e ao Iluminismo. Cansados de sempre buscar uma explicação lógica para o que os rodeava, os intelectuais descobrem o medo e a emoção. O escritor romântico era um apaixonado pelo mistério, pelo oculto. Comovia-se não apenas com a visão de um templo grego, mas também com um mosteiro em ruínas, solitário e coberto de heras. Surge assim o interesse pela Idade Média. Foi a época das narrativas de terror de Bécquer e de Edgar Allan Poe, dos contos de fadas dos irmãos Grimm e do corcunda Quasímodo, de Victor Hugo, que se arrastava pelos corredores da Catedral de Notre Dame, de Paris.
O romântico era essencialmente pessimista e melancólico e refugiava-se na tristeza.

Acima de tudo, deixava-se condicionar pela paixão e pelos sentimentos, levando-os às últimas conseqüências.
Os autores românticos atribuíam grande importância aos estados da alma e aos sentimentos. Seus personagens, entristecidos, recusam a sociedade em que vivem marginalizados.

Românticos como Victor Hugo e Sir Walter Scott não desprezaram o gênero de aventuras e a exaltação dos heróis do passado.



WALTER SCOTT
Nascido em Edimburgo, na Escócia, Sir Walter Scott publicou, em 1814, Waverley, considerado o primeiro romance histórico, repleto de aventuras medievais. Rob Roy (1817), Ivanhoé (1819) e A Noiva de Lammermoor (1819), também são obras de Scott.


Romancista e poeta escocês (15/8/1771-21/9/1832).


Considerado o criador do romance histórico, cujo enredo se baseia na pesquisa e na reconstrução de dados e fatos reais do passado. Nasce em Edimburgo e forma-se em direito em 1792, mas não exerce a profissão.
Muito jovem ainda, publicou uma compilação de poesias escocesas: «Os Menestréis da Fronteira Escocesa» que reúne canções populares..
Interessado no trabalho literário, passa a pesquisar a história e as tradições regionais escocesas. Entre 1802 e 1803 os vinte e dois anos, Walter Scott era já considerado o primeiro poeta nacional,
Em 1805, inspirado em histórias de tradição oral, escreve o poema O Canto do Último Menestrel, de grande sucesso onde se adivinhava ligeiramente o surto que o seu espírito estava conseguindo.
Em 1808 funda a revista literária Quartely Review e intensifica suas pesquisas.
A partir de 1814, dedica-se aos romances. Com obras como A Noiva de Lammermoor e Uma Lenda de Montrose, torna-se responsável pela reabilitação desse gênero em seu país, até então visto como imoral.

Inspira-se na história da Inglaterra para escrever romances de enredo medieval, como ROB ROY (1817), o clássico Ivanhoe (1819), The Abbot (O Abade, 1820) e Quentin Durward (1823).
Obtém sucesso com eles, a ponto de ser o primeiro escritor a fazer fortuna com essa atividade. Entretanto, perde todo o lucro acumulado com a falência da editora Constable, à qual se associara. As dificuldades financeiras enfrentadas nos últimos anos de vida, o leva a publicar obras de qualidade inferior. Morreu no Castelo de Abbotsford, em Roxburgh.



ROB ROY
Rob Roy é um romance de Walter Scott , escrito em 1817 e baseado no famoso herói popular escocês Robert Roy MacGregor (7 de março de 1671, 28 de dezembro de 1734).
A história deste herói já atraiu a atenção de outros escritores como Daniel Defoe , que escreveu uma versão ficcionada da vida de Rob Roy, em 1723, em um livro chamado Highland Rogue ampliando sua lenda, e isso influenciou o perdão que recebeu por parte de George I. A publicação do trabalho de Rob Roy por Sir Walter Scott , em 1817, é outro exemplo de um enorme elenco de livros inspirados, antes e após a figura desse personagem.
Em 1995 chegava às telas de cinema pela 3ª vez, a história de Rob Roy. O lançamento do filme, literalmente baseado em sua obra, dirigido por Michael Caton-Jones e estrelado por Liam Neeson, foi o que provavelmente, levou muita gente a olhar para trás e redescobrir o herói clássico dos planaltos. Talvez seja esta, a obra de Walter Scott que tenha maior popularidade entre eles.

O orçamento de Rob Roy - A Saga de uma Paixão foi de US$ 28 milhões;

O primeiro filme ocorreu em 1922, com Robin Roy, e o 2º, com O Grande Rebelde, em 1953.